BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina

31 maio 2007

ORKUT


Esse tal de Orkut é porreta

Fotos e Wordpress

Como disse o Doda: A web 2.0 é linda!
Mas nao era disso que eu queria falar, e sim do meu novo blog - nao esse nao deixara de existir - sobre fotografia.
Hã?
Mas eu nao sei nada de fotografia mesmo!
Por isso que eu fiz um site sobre o assunto: pra ver se eu escrevendo, aprendo algo, aproveito e passo algo pra vcs também, e quem sabe, de quebra o google me da uns trocados...

Hã?

Ah!

O blog é esse aqui: http://fotodicas.wordpress.com/

30 maio 2007

Reflexão

Vale a pena refletir em cima disso aqui.

Cultura


Diferenças culturais.
Por isso o brasileiro vive na merda,
é um povo que ouve funk,
que não produz cientificamente,
que vota em um bando de filhos das mais variadas putas.
Tudo é cultural:
O desinteresse pela leitura é reflexo disso? ou será que por não lermos somos o que somos?
Não estudamos.
Não crescemos intelectualmente.
Falo isso porque venho de uma família de cientistas, com livros publicados;
E artigos; E teses;
E orientações;
Olho ao meu redor e vejo a ignorância instalada em cada casa,
em todas as classes.

Esses publicitários...


Propaganda do PS2, sadicamente perfeita!

29 maio 2007

Da série "I'll get over it one day"

Eu sou um cara bustelento... sou sim. Tenho uma relação impressionante com as melecas que habitam o meu nariz. Não conheço ninguém que tenha desenvolvido técnicas tão avançadas e eficientes de "limpar o salão". E o mais impressionante, poderia dizer, é o tamanho que elas alcançam - parecem verdadeiros aliens.
Minha mãe tentou durante anos tirar de mim esse hábito que muitos acham imundo, e que eu acho apenas normal. Tá... não é tão normal assim, mas fazer o que né?
Pois bem, teve um dia que as minhas queridas bustelas resolveram se voltar contra mim, e me pregaram uma peça que até hoje, quando eu penso no episódio dá vontade de enterrar a minha cabeça dentro de um buraco e ficar ali até morrer asfixiado.
Estavamos em uma cidade que fica a uns 200km de Belém, para ser mais exato, em na praia que fica perto dessa cidade, Ajuruteua. Eramos uma turma de aproximadamente umas 10 pessoas, fim de tarde, todos meio bêbados já, prontos para voltar pra cidade de pois de um dia todo de praia, quando aparecem, em duas motos Bis, quatro ninfetinhas. Gatinhas, nos seus lindos 16/17 aninhos. Obviamente toda a macharada desistiu de voltar pra cidade e começou a puxar papo com as tchutchuquinhas.
Papo vai, papo vem, uma delas - a mais gata - resolve ir pro mar, e o kid gostosão aqui pensa: "Opa, agora eu vou me dar bem". E sai em disparada atrás daquela coisinha deliciosa menina.
Eu me lembro perfeitamente da empolgação que eu entrei na agua, e já fui indo pra cima dela, sendo que a mesma tinha me visto vindo, e pareceu-me bem receptiva, até o momento que eu mergulho e já saio do lado dela. Ela deu um pulo e pude notar que as feições dela mudaram. Bastante até, devo dizer.
Eu não entendi direito o que tinha acontecido, mas vi que dali não ia sair nada quando ela começou a nadar pra longe de mim, então resignei-me a voltar pra junto da turma.
Quando eu estava me aproximando, a minha prima que estava consoco fez uma cara de nojo e saiu gritando com uma expressão de horror, como se tivesse visto o cão em pessoa, enquanto o resto do pessoal começou a rir. Tinham alguns inclusive que se jogaram na areia de tanto rir.
Percebendo que devia ter algo de errado, corri até o espelho do carro e ela estava lá, linda, branca meio esverdeada, uma meleca que ia de dentro do meu nariz até o começo da minha boca.

Eu vi a menina outras vezes na cidade, mas fiz questão de atravessar a rua e esconder a minha cara... eu acho que até hoje ela conta o caso do homem-meleca pras amigas em noites de lua cheia.

26 maio 2007

Hoje é dia de...

C E R V E J A

Aha! Na cervejaria/pub Frei Tuck em BH rolou a maior orgia etilica nesse sabado, e esse humilde bebum que vos escreve esteve la, degustanto 10 tipos de cerveja artesanais, feitas em casa mesmo. Cada um com sua formula secreta.
Chegamos por volta de 11 da manha, e ja tinhamos perdido a degustaçao de uma delas, que é feita por um cara do time de Rugby de BH, no entanto ainda deu tempo de achar lugar para sentar. Ai foi so esperar os garçons virem nos servir, uma a uma, apos a devida explicaçao de suas caracteristicas por cada um dos mestres cervejeiros.
Essa brincadeira durou ate umas 1 da tarde, onde a partir dai cada um podia comprar a sua propria garrafa para degustar como bem achasse, de preferencia acompanhado pela deliciosa feijoada que estava rolando.
Sai de la as 15hrs bebado e feliz.


BH HOME BIER


Esse é doido


Chernobier Strong Ale - Pra mim é a melhor.


Tem até do papai smurf


Karpens


VMBeer, a cerveja dos nerds. So quem é um entendeu a piada...


Uma broca é uma broca.


Outro paraense perdido em BH.


POis...


Frei Tuck

Frei Tuck

23 maio 2007

BHHB

É por essas e por outras que eu amo essa cidade...
Vem aí o primeiro BH House Bier.
Vamos tomar cerveja artesanal???
=D

21 maio 2007

Pespectiva relativa

Antes eu achava que fotos eram simplesmente uma maneira de congelar para sempre um registro visual de algo. Em algum momento da minha vida algo me fez pensar diferente, e a partir daí, começei a ver a fotografia como uma maneira de mostrar ao mundo como eu o vejo.


Rui


Nao Identificado


NoRope


Spider-Man


Platinada


Mais Sombra


Caminho

18 maio 2007

Aventuras de JB@Roraima Parte II

Dia 27 todos retornaram e eu continuei por lá. O Jorge Macedo chegara para fotografar e eu fiquei com ele. Até porque em Boa Vista eu estava hospedado em sua casa. Ele todo animado para sair pelas malocas e chegar até a Cachoeira da Andorinha fotografando. Como estava acompanhado por pessoas ligadas aos índios fomos lá num sábado. Os parentes estavam todos em Ajuri - toda a comunidade ajudando um dos membros, fazendo roça, casa, etc. E tomando Caxiri e Pajuarú. Eu pensei – “isto não vai prestar” - e não prestou. Conseguimos passar 5 malocas, mas quando chegamos na maloca do Makuquém, a última antes da Andorinha os parentes estavam todos no meio da estrada e mandaram levar o carro para uma casa. “Ferrou!”.

- O que vocês tão fazendo aqui? Nós vamos quebrar esse carro e vamos amarrar vocês. Desce, desce.

Cagada. Cada 10 parentes para um de nós, separados, cada um para um canto e repressão. O índio virou pro Jorge Macedo, Barrigudão:

- Tu vai beber Pajuarú, aqui bebida é de graça, não é como na tua maloca que a gente tem que pagar.

E deram para ele uma bacia plástica com uns cinco litros. Ele bebeu de uma talagada e disse: “Gostoso”.
- Tu vai beber mais uma
- Não, eu estou cheio
- Tu vai beber outra.

E ele bebeu.

- Muito obrigado.
- Tu vai beber outra maior agora.

Eu estava separado com outros e eles “bla-bla-bla”. Eu nem a aí. Mas estava ficando puto com a situação do Jorge. O motorista que é irmão de tuchaua, falou pra mim:

- Tu vai buscar água no carro para molhar barro
- Pronto, fui.
- Tu vai de novo.

Eu ficando puto. Um merreca dum índio de uns 25 anos chega para mim com um pacote de Derby e diz:
- Compra uma carteira de cigarro pra mim
- De quem este aí?
- É meu, mas tu vai comprar

Comprei.

- Agora tu vai comprar outra.
- Não. Já comprei uma.
-Tu vai comprar outra até comprar tudo.

Não prestou. Os outros lá cercados e se justificando, todo mundo bonzinho então pensei: “Vou ver o tamanho da coragem dos parentes”.

- ESCUTA AQUI SEU MERDA, SEU ÍNDIO SAFADO! QUEM TU PENSAS QUE ÉS PARA ME FALTAR COM RESPEITO? NESTA MALOCA NÃO ENSINARAM RESPEITAR PESSOAS MAIS VELHAS? QUEM VAI ME AMARRAR? QUEM VAI ME BATER? TU, TU, OU TU? VAI TE F...

Silêncio total.
Pensei: “agora o pau vai quebrar”.
Mas o silêncio continuou.

Nisso 2 tuchauas se aproximaram de mim, um de um lado, e outro do outro.

- Aqui ninguém vai lhe fazer mal, não. Fique tranqüilo.

Uma índia velha repreendeu o índio novo e eu tomei a carteira de cigarro que comprara.
Um outro grandão olhou para mim e disse:

- Pode tirar esta calça pra mim, tu vai voltar só de cueca

“É”, EU disse desabotoando o cinto:

- Eu estou hospedado lá no quartel e esta calça é do comandante, eu vou deixar ela contigo e amanhã eu volto com ele pra pegar de volta.
- Vai embora velho.

Eu olhei para ele, abotoei o cinto e disse:

-GELOU. PERDEU A CORAGEM.

Nisso o Jorge já havia comprado dos índios e fomos embora. Um parente pediu carona até o Uiramutã. um que só vivia falando no ouvido do Jorge: - Vou te amarrar, buchudão.

Chegando lá perguntaram onde ele ia ficar e ele disse

- Eu quero um rancho pra pagar a ida de vocês na maloca.

Peguei o Corneta, fiz que tirava da bainha e disse:

- Índio safado, tu agora está na minha maloca e agora eu vou te amarrar e vou te dar umas panadas de facão.

E a turma do carro:

- SEGURA O JOÃO NÃO DEIXA ELE DESCER, TRAVA AS PORTAS!!!

Claro que o parente vagabundo abriu com mais de mil, correndo.

16 maio 2007

Aventuras de JB@Roraima Parte I

Eu conheço um cara que é uma figura. Mas é uma figura mesmo. Ele tá velhinho agora, inclusive, é como ele gosta de ser chamado atualmente. Sou maior fã dele, mas não sou o único, pois esse velhinho tem uma legião de fãs espalhados pelo mundo a fora. E quando eu falo "pelo mundo" eu quero dizer que vai dos Estados Unidos da America, passando pela França, Alemanha, Londres e se bobear, até Japão. É o maior mateiro vivo em termos de Amazônia.
Já escalou o Pico da Neblina, o Monte Caburaí, Monte Roraima, Serra Pacaráima.
Já navegou no Amazonas, Rio Negro, Purús, Madeira, Tapajós.
Já esteve em lugares que a maioria dos brasileiros nem sonha que existe.
Já publicou dois livros de orquídeas da amazônia.
Pode chamar ele de JB, Velhinho, Batista, João, João Batista.
Eu mesmo só posso chama-lo de papai.

Vou publicar aqui a primeira parte da última aventura dele, que foi escrita pra mim em um email.

Meu Garoto,

Esta última viagem foi muito legal, só contando:

Saí daqui e fui direto à Boa Vista, lá eu procurei um contato com o Jordão, filho do velho Galego que moravam na Fazenda Aparecida, perto do Iramutã. O velho Galego foi quem socorreu tua mãe e eu, em 89 quando quebramos a Kombi voltando do Pium, no rio Mau. O Jordão era moleque naquela época e depois veio para Belém estudar agronomia na FICAp. Eu pensei que ele morasse no Uiramutã e queria apoio por lá, mas ele atualmente é Secretário de Estado na Secretaria do Índio. Imediatamente ele disse que tinha uma casa lá e 10 horas da noite ele apareceu na casa do Jorge Macedo com as chaves da casa: Casa completa com freezer, fogão, comida e tudo o mais. Avisou-me que as seis da manhã arranjaria uma Mitsubishi para me levar lá, só eu e o Motorista. Fiquei uma semana nessa casa antes de chegar a equipe da Comissão1. A cidade é cercada por malocas e me avisaram que não era permitido circular fora do KM, território urbano, mas mesmo assim eu saí todos os dias, fazendo caminhadas de 12-15 km. fotografando as cachoeiras dos parentes2.

No dia primeiro de abril chegou o pessoal da Comissão com um Pelotão do BIS3 de Boa vista. Fiz uma visita ao quartel e conheci o Comandante, um tenente de 23 anos formado pela AMAN4, O comandante do pelotão de Boa Vista também era da turma dele e veio para fazer rapel na fronteira e com a turma dele abrir as clareiras para o Helicóptero. A primeira turma saiu para a fronteira no dia 3 e dois dias depois fomos nós.

A missão da comissão foi reencontrar os marcos B-BG/13, 12, 11 E 11ª, colocados lá em 1932 E 1934, depois do rapel e abrir clareiras, a turma do tenente, 8 soldados e o Dauberson vasculharam a mata em busca do Marco por 2 dias e nada. A equipe técnica chegou e os milicos foram resgatados, substituídos por mais 6. Ficamos lá 4 dias. Nos primeiros 2 dias fiquei fazendo as minhas coletas e a turma procurando o marco, com laptop, GPS, mapas, guiados pela coordenada astronômica, e nada. Nos dois dias que eles saíram, acompanhados pelos soldados, perderam-se. Encontraram o acampamento via PARAFAL5... No terceiro dia eu avisei que ia procurar o marco.

Durante a noite eu ouvia o vento ululando como ondas do mar a uns 200 metros rumo sul, enquanto aqui no acampamento sem vento, então pensei :

- Ali há uma serra e lá está o marco.

Por isso resolvi procurar o marco, e as 8 horas da manhã a turma se dividiu e se mandou, eu fui no meu palpite e 9:30 da manhã encontrei o marco na dita serra.

VIREI HEROI.

Avisaram que o marco foi encontrado e fomos resgatados no outro dia e transferidos para a área do marco 12, lá o Dauberson avisou que eles já haviam vasculhado tudo e que o 12 era impossível ser encontrado. O tenente falou:

- Se o velhinho (eu) encontrar este eu desisto de ser soldado procurador de marco e a Comissão não precisa mais ninguém, só dele.

Eles tinham razão, a coisa lá é feia: Um planalto a l400 metros de altitude numa mata com sub-bosque fechado que só passava abrindo caminho com terçado e num raio de 400 metros estava praticamente roçado pela turma. No histórico do marco dizia que ele foi colocado num penhasco e só procuraram no baixão, ‘está errado’, pensei, mas fiquei 3 dias coletando e ouvindo histórias do dia a dia da turma. A noite o Dauberson ligou avisando que estava mandando a turma para montar um marco novo, eu então falei com o técnico e pedí mais um dia.

- Amanhã eu saio com vocês.

E ele concordou.

Pela manhã dei minha sugestão, abrimos uma picada de 1.200 metros num determinado rumo, com bússola e 10:30 da manhã saímos exatamente em cima do marco. Aí comprovou:

- O velhinho é bom mesmo.

Cada marco encontrado era uma festa regada a cachaça 51 e costeleta de porco assada. Fomos transferidos para o 11, aí apanhamos 4 dias. Na verdade eu não procurei o marco porque havia tanto material que eu não tive tempo para isso e a campanha estava no fim, mas eu tenho meu palpite de onde ele deve está. A turma procurou numa serra errada, o divisor ali deve ser somente uma lombada entre umas lagoas que existem, mas no próximo ano tem mais e eu já estou escalado.

(Continua...)


Legenda:

1 - A Primeira Comissão Brasileira Demarcadora de Limites (PCDL), sediada em Belém (Pará), é encarregada das atividades nas fronteiras do Brasil com Peru, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

2 - Índios.

3 - Batalhão de Infantaria de Selva.

4 - Academia Militar das Agulhas Negras.

5 - Fuzil usado pelo exercito brasileiro.

14 maio 2007

13 maio 2007

Ferrugem


Ferrugem
Originally uploaded by O Pirata.
No entry please.

09 maio 2007

Frase do dia

Galinha que é galinha, aprende a nadar pra dar pro pato!!!

Isso me fez pensar que eu não sei se estou a fim de um cigarro ou de um Jack Daniel's hoje a noite... Ó dúvida cruel...

08 maio 2007

LEIAM

vale a pena:

O Tabuleiro

... e isso é uma ordem!

Homem Aranha virou EMO!

Era só o que me faltava!
Como o Stan Lee permitiu uma coisa dessas???
Meodeos!!!!
O nerd-mor dos quadrinhos, o maior abestado em termos de herois que já existiu, virou EMO!

Para aqueles que não sabem, já fui viciado em tudo quanto é tipo quadrinhos, e hoje em dia ainda sou, mas mudei o publico alvo. Leio atualmente tirinhas espertas como Calvin e Hobes ou Mafalda, ou então quadrinhos de homem mesmo, como Manara, Sapieri e Asterix.
Fui então ver o cabeça de teia 3, e ver o que ele me dizia. O que ele me disse foi:
- O Stan Lee não morreu ainda.
- A primeira luta é fantástica.
- A MJ é uma tábua.
- A Gwen é muito gata.
- O Peter Parker vira EMO.


Nota 8.3 pelos efeitos e pelo fato do Parker babaca sempre se fuder.

Eu prefiro o Parker nerd.

06 maio 2007

Sombra dela


Sombra dela
Originally uploaded by O Pirata.
Saia de casa.
Respire.
Sinta o por do sol no rosto e a natureza.

Seja humano e viva.

Saia da frente do PC e seja feliz hoje. Pelo menos hoje.

04 maio 2007

Divagações sobre a transformação da massa da informação

Ou então você pode simplesmente chamar de "física x informática".

Como assim Bial?

Sim, pois eu cá estava a pensar sobre uma lei da física que diz: Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

Na natureza.
E aí vem a informática onde perde-se.

format c:

Simplesmente você pode poerder uma vida conceitual. Tudo o que você tem dentro de um HD pode ser perdido. Perdido mesmo. Desaparecer. Acaber. Capuft!!!
E isso vai contra as leis da física!
Sim.
Vai sim.
Mas pode acontecer.

Musicas.
Livros.
Fotos.
Trabalhos.

São propriedades intelectuais que podem a vir se perder para sempre. Um livro a ser publicado. Fotos que irão para uma exposição de Arte.
Pode-se perder uma vida!

Que coisa, não?

-- Mas porque que eu estou falando isso mesmo?

02 maio 2007

O que marca você?

Eu, em uma das minhas poucas folgas que tive hoje, vi um negocinho bem interessante. Um site que gera uns icones bem bacaninhas. É o Publicon. O que eu vi lá me fez pensar: Que marcas são as suas? Que marcas você se identifica? Que marcas marcam você? Que marcas identificam você?

Bem interessante isso.

Fui perceber o quanto estamos ligados a produtos de todas as formas quando começei a ver, quais desses ícones que existiam no site, ou eu usava os produtos, ou eu me identificava.

Entre marcas de softwares, hardwares, bandas, bandeiras, cervejas, series, filmes, e mais uma porrada de coisa, eu montei a grade abaixo...

E olha... isso deu um trabalho do caralho!